O que é KPI? O passo a passo para medir a performance da sua empresa

kpi

Gerir uma empresa requer mais do que um conhecimento geral do negócio. É necessário ter uma visão estratégica e acompanhá-la por meio de dados precisos e objetivos.

É nesse ponto que entram os KPIs (Key Performance Indicators). Eles são métricas utilizadas para medir o desempenho da empresa e ajudar na tomada de decisão.

Mas o que são KPIs? Por que eles são importantes? Qual a diferença entre KPIs e OKR? Como criar indicadores para a sua empresa?

Essas são algumas das perguntas que responderemos neste artigo.

Aqui você encontrará um passo a passo para medir a performance da sua empresa e exemplos de KPIs de diferentes áreas de negócio.

O que são KPIs (key performance indicators)?

KPIs (Key Performance Indicators) são métricas utilizadas para medir o desempenho da empresa em relação a seus objetivos estratégicos.

Eles são indicadores-chave que permitem acompanhar o progresso e o sucesso da empresa, monitorar o desempenho da equipe e tomar decisões baseadas em dados precisos e objetivos.

Os KPIs podem ser aplicados em diferentes áreas de negócio, desde finanças e vendas até atendimento ao cliente e logística.

Eles são fundamentais para entender se a empresa está no caminho certo para alcançar seus objetivos.

Qual a importância dos KPIs na sua empresa?

Os KPIs são importantes porque permitem que a empresa monitore o progresso em relação a seus objetivos estratégicos. Eles fornecem informações objetivas e precisas para que a equipe possa tomar decisões fundamentadas em dados.

Além disso, os indicadores são importantes porque:

Permitem que a empresa identifique problemas e oportunidades de melhoria

Facilitam a comunicação entre as áreas de negócio e a tomada de decisão em equipe

Motivam a equipe a trabalhar em conjunto para alcançar os objetivos da empresa

Facilitam o processo de avaliação de desempenho da equipe

Quais os objetivos de um KPI?

Os KPIs têm como objetivo medir o desempenho da empresa em relação aos seus objetivos estratégicos. Eles permitem que a empresa monitore o progresso e identifique oportunidades de melhoria. Os KPIs também podem ser utilizados para:

Avaliar o desempenho da equipe e dos indivíduos

Identificar problemas e oportunidades de melhoria

Facilitar a comunicação entre as áreas de negócio

Facilitar a tomada de decisão baseada em dados precisos e objetivos

Qual a diferença entre KPIs e OKR?

KPI e OKR (Objectives and Key Results) são termos relacionados à gestão de desempenho, mas eles têm diferenças significativas.

Os KPIs são métricas utilizadas para medir o desempenho da empresa em relação aos seus objetivos estratégicos. Eles são indicadores-chave que permitem acompanhar o progresso e o sucesso da empresa. Os indicadores são métricas que são medidas em um determinado período de tempo, como um trimestre ou um ano.

Os OKRs, por sua vez, são uma metodologia para definir objetivos e medir resultados. Eles permitem que a empresa estabeleça objetivos ambiciosos e mensuráveis e defina os resultados-chave que precisam ser alcançados para atingir esses objetivos. Os OKRs são um processo de gestão de desempenho que envolve todo o ciclo de planejamento, execução e monitoramento.

Em resumo, os KPIs são métricas utilizadas para medir o desempenho da empresa em relação a seus objetivos estratégicos, enquanto os OKRs são uma metodologia para definir objetivos ambiciosos e mensuráveis e medir os resultados-chave necessários para atingir esses objetivos.

10 KPIs de vendas

Receita de vendas: medida em termos de dinheiro, é a quantidade de receita gerada pelas vendas.

Ticket médio: é a média de quanto cada cliente gasta em uma compra.

Taxa de conversão: é a porcentagem de visitantes do site que se tornam clientes.

Tempo médio de vendas: é o tempo médio necessário para fechar uma venda.

Custo de aquisição de cliente (CAC): é o custo total de aquisição de um cliente, incluindo todas as despesas de marketing e vendas.

Margem de lucro bruto: é a diferença entre a receita de vendas e o custo dos produtos vendidos.

Taxa de renovação: é a porcentagem de clientes que renovam seus contratos ou compram novamente da empresa.

Funil de vendas: é uma visualização do processo de vendas, mostrando quantos leads se tornam clientes em cada etapa.

Taxa de rejeição: é a porcentagem de pedidos de vendas que são rejeitados pelos clientes.

Número de vendas: é a quantidade total de vendas realizadas em um determinado período de tempo.

10 KPIs de marketing

Retorno sobre investimento (ROI): é a relação entre o custo de uma campanha de marketing e o retorno financeiro gerado.

Custo por lead (CPL): é o custo médio de gerar um lead por meio de uma campanha de marketing.

Taxa de conversão de lead: é a porcentagem de leads que se tornam clientes.

Tráfego do site: é a quantidade de visitantes que acessam o site da empresa em um determinado período de tempo.

Taxa de abertura de e-mails: é a porcentagem de e-mails que são abertos pelos destinatários.

Taxa de cliques em e-mails: é a porcentagem de e-mails que levam os destinatários a clicar em um link ou botão.

Número de seguidores nas redes sociais: é a quantidade de seguidores que a empresa tem em suas contas nas redes sociais.

Engajamento nas redes sociais: é a porcentagem de interações (curtidas, comentários, compartilhamentos) que as publicações nas redes sociais recebem.

Tempo de permanência no site: é o tempo médio que os visitantes passam no site da empresa.

Número de leads gerados: é a quantidade total de leads gerados em um determinado período de tempo.

10 KPIs financeiros

Fluxo de caixa: é a quantidade de dinheiro que entra e sai da empresa em um determinado período de tempo.

Lucro líquido: é a diferença entre a receita total e o custo total da empresa.

Margem de lucro bruto: é a diferença entre a receita de vendas e o custo dos produtos vendidos.

EBITDA (Earnings Before Interest, Taxes, Depreciation, and Amortization): é o lucro da empresa antes de deduzir juros, impostos, depreciação e amortização.

Retorno sobre investimento (ROI): é a relação entre o custo de uma campanha de marketing e o retorno financeiro gerado.

Índice de liquidez: é a capacidade da empresa de pagar suas dívidas no curto prazo.

Índice de endividamento: é a quantidade de dívida que a empresa tem em relação ao seu patrimônio líquido.

Receita por funcionário: é a quantidade de receita gerada por cada funcionário da empresa.

Faturamento por cliente: é a quantidade média de receita gerada por cada cliente.

Taxa de inadimplência: é a porcentagem de clientes que não pagam suas contas na data de vencimento.

10 KPIs de compras

Custo total de aquisição: é o custo total para adquirir um produto ou serviço, incluindo todas as despesas associadas à compra.

Nível de estoque: é a quantidade de produtos ou materiais que a empresa tem em estoque.

Tempo de entrega: é o tempo médio necessário para que um fornecedor entregue um produto ou serviço.

Tempo médio de processamento de pedidos: é o tempo médio necessário para processar um pedido de compra.

Número de fornecedores: é a quantidade de fornecedores com os quais a empresa trabalha.

Índice de satisfação do fornecedor: é a medida da satisfação dos fornecedores com a empresa.

Índice de qualidade dos produtos: é a medida da qualidade dos produtos adquiridos pela empresa.

Índice de pontualidade na entrega: é a medida da pontualidade dos fornecedores na entrega dos produtos.

Custo por produto: é o custo médio de um produto adquirido pela empresa.

Índice de negociação: é a medida da habilidade da empresa em negociar com os fornecedores para obter melhores preços e condições.

10 KPIs de logística

Tempo de entrega: é o tempo médio necessário para entregar um produto aos clientes.

Índice de pontualidade na entrega: é a medida da pontualidade da entrega dos produtos aos clientes.

Taxa de devolução: é a porcentagem de produtos devolvidos pelos clientes.

Nível de estoque: é a quantidade de produtos ou materiais que a empresa tem em estoque.

Custo de transporte: é o custo total de transporte dos produtos ou materiais da empresa.

Tempo médio de processamento de pedidos: é o tempo médio necessário para processar um pedido de entrega.

Taxa de erro de entrega: é a porcentagem de erros na entrega dos produtos aos clientes.

Índice de utilização do espaço de armazenagem: é a medida da eficiência do uso do espaço de armazenagem da empresa.

Índice de satisfação do cliente: é a medida da satisfação dos clientes com a entrega dos produtos.

Taxa de ocupação dos veículos de transporte: é a medida da eficiência na utilização dos veículos de transporte da empresa.

10 KPIs de atendimento ao cliente

Tempo médio de resposta: é o tempo médio necessário para responder às solicitações dos clientes.

Nível de satisfação do cliente: é a medida da satisfação dos clientes com o atendimento da empresa.

Taxa de resolução no primeiro contato: é a porcentagem de solicitações dos clientes que são resolvidas no primeiro contato.

Taxa de abandono de chamadas: é a porcentagem de clientes que desistem de aguardar na linha durante uma chamada.

Número de reclamações: é a quantidade total de reclamações recebidas em um determinado período de tempo.

Tempo médio de espera: é o tempo médio que os clientes aguardam na fila de atendimento.

Taxa de retenção de clientes: é a porcentagem de clientes que continuam a fazer negócios com a empresa após o primeiro contato.

Índice de fidelidade do cliente: é a medida da lealdade dos clientes à marca da empresa.

Número de interações por cliente: é a quantidade total de interações (chamadas, e-mails, chats) que um cliente tem com a empresa.

Índice de recomendação do cliente: é a medida da probabilidade de um cliente recomendar a empresa para outras pessoas.

10 KPIs de qualidade

Índice de defeitos: é a porcentagem de produtos que apresentam defeitos.

Índice de retrabalho: é a porcentagem de produtos que precisam ser retrabalhados devido a defeitos.

Taxa de devolução: é a porcentagem de produtos devolvidos pelos clientes.

Tempo médio entre defeitos: é o tempo médio necessário para que um produto apresente defeitos após ser produzido.

Taxa de conformidade: é a porcentagem de produtos que atendem aos requisitos de qualidade estabelecidos pela empresa.

Índice de satisfação do cliente: é a medida da satisfação dos clientes com a qualidade dos produtos ou serviços.

Índice de retrabalho por departamento: é a medida da eficiência de cada departamento na produção de produtos sem defeitos.

Tempo médio de reparo: é o tempo médio necessário para reparar um produto com defeito.

Número de reclamações: é a quantidade total de reclamações recebidas em um determinado período de tempo relacionadas à qualidade dos produtos ou serviços.

Índice de aceitação do produto: é a medida da aceitação dos produtos pela equipe de controle de qualidade.

10 KPIs operacionais

Eficiência operacional: é a medida da eficiência do processo produtivo da empresa.

Tempo de ciclo: é o tempo necessário para completar um ciclo de produção.

Taxa de ocupação de máquinas: é a medida da eficiência na utilização das máquinas da empresa.

Taxa de utilização de mão de obra: é a medida da eficiência na utilização da mão de obra da empresa.

Custo de produção: é o custo total de produção de um produto.

Índice de manutenção preventiva: é a medida da eficiência na realização de manutenção preventiva nas máquinas da empresa.

Taxa de perda de material: é a porcentagem de material perdido durante o processo produtivo.

Nível de estoque de produtos acabados: é a quantidade de produtos acabados que a empresa tem em estoque.

Índice de capacidade produtiva: é a medida da capacidade produtiva da empresa em relação à sua demanda.

Índice de segurança do trabalho: é a medida da segurança no ambiente de trabalho da empresa.

10 KPIs de produtividade

Produtividade por funcionário: é a medida da quantidade de trabalho realizada por cada funcionário da empresa.

Eficiência do processo: é a medida da eficiência do processo produtivo da empresa.

Índice de refugo: é a porcentagem de produtos rejeitados pelo controle de qualidade.

Taxa de ocupação de máquinas: é a medida da eficiência na utilização das máquinas da empresa.

Taxa de utilização de mão de obra: é a medida da eficiência na utilização da mão de obra da empresa.

Índice de manutenção preventiva: é a medida da eficiência na realização de manutenção preventiva nas máquinas da empresa.

Nível de estoque de matéria-prima: é a quantidade de matéria-prima que a empresa tem em estoque.

Índice de capacidade produtiva: é a medida da capacidade produtiva da empresa em relação à sua demanda.

Taxa de retrabalho: é a porcentagem de produtos que precisam ser retrabalhados devido a erros no processo produtivo.

Índice de segurança do trabalho: é a medida da segurança no ambiente de trabalho da empresa.

Como usar os KPIs na estratégia da sua empresa?

Para usar os KPIs na estratégia da sua empresa, é importante seguir alguns passos:

Defina os objetivos estratégicos da empresa: antes de definir os KPIs, é importante ter uma clareza dos objetivos estratégicos que a empresa deseja alcançar.

Identifique as áreas críticas: identifique as áreas críticas da empresa que precisam ser monitoradas e melhoradas para atingir os objetivos estratégicos.

Selecione os KPIs adequados: selecione os KPIs que são adequados para cada área crítica, levando em consideração os objetivos estratégicos da empresa.

Defina as metas: defina as metas para cada KPI, levando em consideração as metas estratégicas da empresa.

Estabeleça um sistema de monitoramento: estabeleça um sistema de monitoramento para os KPIs selecionados, com o objetivo de acompanhar regularmente o desempenho da empresa e avaliar se as metas estão sendo alcançadas.

Analise os resultados: analise os resultados dos KPIs e identifique oportunidades de melhoria. Utilize os resultados para tomar decisões informadas e planejar ações futuras.

Faça ajustes quando necessário: faça ajustes nos KPIs e nas metas quando necessário, com base na análise dos resultados e nas mudanças nas condições do mercado.

Como definir os seus KPIs

Para definir os KPIs ideais para a sua empresa, siga os seguintes passos:

Defina os objetivos estratégicos da empresa: antes de definir os KPIs, é importante ter uma clareza dos objetivos estratégicos que a empresa deseja alcançar.

Identifique as áreas críticas: identifique as áreas críticas da empresa que precisam ser monitoradas e melhoradas para atingir os objetivos estratégicos.

Liste os possíveis KPIs: liste os possíveis KPIs que podem ser utilizados para monitorar as áreas críticas da empresa.

Selecione os KPIs adequados: selecione os KPIs que são adequados para cada área crítica, levando em consideração os objetivos estratégicos da empresa.

Defina as metas: defina as metas para cada KPI, levando em consideração as metas estratégicas da empresa.

Verifique a disponibilidade de dados: verifique se a empresa possui os dados necessários para monitorar cada KPI.

Priorize os KPIs: priorize os KPIs com base na importância estratégica e na disponibilidade de dados.

Avalie a relevância: avalie a relevância de cada KPI e certifique-se de que ele está diretamente relacionado aos objetivos estratégicos da empresa.

Teste os KPIs: teste os KPIs selecionados para garantir que eles sejam eficazes na monitoração das áreas críticas da empresa.

Faça ajustes quando necessário: faça ajustes nos KPIs e nas metas quando necessário, com base na análise dos resultados e nas mudanças nas condições do mercado.

Como criar os KPIs da sua empresa passo a passo

Para criar os KPIs da sua empresa, siga os seguintes passos:

Defina os objetivos estratégicos da empresa: antes de criar os KPIs, é importante ter uma clareza dos objetivos estratégicos que a empresa deseja alcançar.

Identifique as áreas críticas: identifique as áreas críticas da empresa que precisam ser monitoradas e melhoradas para atingir os objetivos estratégicos.

Liste os possíveis KPIs: liste os possíveis KPIs que podem ser utilizados para monitorar as áreas críticas da empresa.

Defina as especificações do KPI: defina as especificações para cada KPI, como a fórmula de cálculo, a unidade de medida e a frequência de atualização.

Verifique a disponibilidade de dados: verifique se a empresa possui os dados necessários para monitorar cada KPI.

Teste os KPIs: teste os KPIs criados para garantir que eles são eficazes na monitoração das áreas críticas da empresa.

Defina as metas: defina as metas para cada KPI, levando em consideração as metas estratégicas da empresa.

Estabeleça um sistema de monitoramento: estabeleça um sistema de monitoramento para os KPIs criados, com o objetivo de acompanhar regularmente o desempenho da empresa e avaliar se as metas estão sendo alcançadas.

Analise os resultados: analise os resultados dos KPIs e identifique oportunidades de melhoria. Utilize os resultados para tomar decisões informadas e planejar ações futuras.

Faça ajustes quando necessário: faça ajustes nos KPIs e nas metas quando necessário, com base na análise dos resultados e nas mudanças nas condições do mercado.

O passo a passo para fazer a gestão e monitoramento dos KPIs na sua empresa

Para fazer a gestão e monitoramento dos KPIs na sua empresa, siga os seguintes passos:

Estabeleça um sistema de coleta de dados: estabeleça um sistema de coleta de dados para cada KPI, com o objetivo de obter informações precisas e atualizadas.

Defina a frequência de atualização: defina a frequência de atualização de cada KPI, levando em consideração a importância e a disponibilidade dos dados.

Estabeleça um sistema de análise de dados: estabeleça um sistema de análise de dados para interpretar os resultados dos KPIs e identificar tendências e oportunidades de melhoria.

Compartilhe os resultados: compartilhe os resultados dos KPI com a equipe da empresa, com o objetivo de envolver todos na busca por melhorias.

Tome ações corretivas: tome ações corretivas quando os resultados dos KPI indicarem desempenho insatisfatório, com o objetivo de corrigir os problemas identificados.

Acompanhe as mudanças: acompanhe as mudanças nos KPI ao longo do tempo, com o objetivo de avaliar a eficácia das ações corretivas tomadas e identificar oportunidades de melhoria contínua.

Realize revisões periódicas: realize revisões periódicas dos KPIs, com o objetivo de garantir que eles continuem relevantes e eficazes na monitoração das áreas críticas da empresa.

10 cases de empresa que aplicaram os KPIs em sua estratégia

McDonald’s: utilizou indicadores para monitorar o desempenho das suas unidades franqueadas, incluindo vendas, lucratividade, satisfação do cliente e produtividade.

Google: utilizou KPI para monitorar o desempenho do seu buscador, incluindo o número de pesquisas realizadas, o tempo de resposta e a qualidade dos resultados.

IBM: utilizou KPI para monitorar o desempenho da sua divisão de serviços, incluindo o tempo de resposta ao cliente, a satisfação do cliente e a eficiência operacional.

Ford: utilizou indicadores para monitorar o desempenho da sua linha de produção, incluindo a qualidade dos produtos, a produtividade e o tempo de ciclo.

Microsoft: utilizou indicadores para monitorar o desempenho da sua divisão de vendas, incluindo o número de vendas, a taxa de conversão e o valor médio das vendas.

Amazon: utilizou indicadores para monitorar o desempenho da sua operação de logística, incluindo o tempo de entrega, a precisão das entregas e o custo operacional.

Tesla: utilizou indicadores para monitorar o desempenho da sua linha de produção de veículos elétricos, incluindo a eficiência energética, a produtividade e a qualidade dos produtos.

Coca-Cola: utilizou indicadores para monitorar o desempenho da sua cadeia de fornecimento, incluindo a eficiência operacional, a qualidade dos produtos e a satisfação do cliente.

Nike: utilizou indicadores para monitorar o desempenho da sua linha de produtos, incluindo o número de vendas, a margem de lucro e a satisfação do cliente.

Airbnb: utilizou KPIs para monitorar o desempenho da sua plataforma de hospedagem, incluindo o número de reservas, a satisfação do cliente e a eficiência operacional.

Conclusão

Os KPIs são uma ferramenta essencial para a gestão estratégica de uma empresa, permitindo que os gestores monitorem o desempenho em diversas áreas críticas. Ao selecionar e definir os indicadoresideais para a sua empresa, é possível alinhar a gestão com os objetivos estratégicos e tomar decisões informadas para melhorar o desempenho. Com um sistema de monitoramento e gestão adequado, é possível identificar oportunidades de melhoria contínua e garantir o sucesso da empresa no longo prazo.

Além disso, é importante lembrar que a definição dos KPI deve ser um processo contínuo e adaptável. À medida que a empresa evolui, os objetivos estratégicos podem mudar e novas áreas críticas podem surgir, o que exige a revisão e a atualização dos KPIs. Além disso, os KPIs devem ser vistos como uma ferramenta para incentivar a melhoria contínua e não como uma medida punitiva. É importante que todos na empresa entendam a importância dos KPIs e sejam incentivados a trabalhar juntos para atingir as metas estabelecidas.

Por fim, vale ressaltar que a implementação dos KPIs deve ser acompanhada de um processo de gestão de mudança, envolvendo todos os colaboradores da empresa. É importante que todos estejam cientes do papel dos KPIs na estratégia da empresa e que sejam capacitados para contribuir com a melhoria contínua dos processos. Com o engajamento de todos na empresa, é possível garantir o sucesso na implementação dos KPIs e a conquista dos objetivos estratégicos da empresa.

Quer otimizar o atendimento da sua empresa? Aproveite e faça um teste gratuito e sem compromisso da Evolvy!

Você pode gostar também desses posts!

logo evolvy branca

Solicite seu TESTE GRÁTIS!

Preencha os campos abaixo para liberar o seu teste.

Heeey, só um minutinho...

Que tal fazer um teste GRATUITO e SEM COMPROMISSO da melhor e mais completa plataforma de atendimento do mercado?

Preencha os seus dados abaixo e veja tudo o que podemos fazer pelo seu negócio!

Heeey, só um minutinho...

Que tal fazer um teste GRATUITO e SEM COMPROMISSO da melhor e mais completa plataforma de atendimento do mercado?

Preencha os seus dados abaixo e veja tudo o que podemos fazer pelo seu negócio!