Churn Rate: O que é + 30 dicas para reduzir

Churn Rate: O que é + 30 dicas para reduzir

No atual cenário empresarial altamente competitivo, entender e gerenciar o churn rate tornou-se fundamental para o sucesso de qualquer empresa.

O churn, ou taxa de cancelamento, é um indicador crucial que mede a quantidade de clientes que deixam de utilizar os produtos ou serviços oferecidos por uma empresa em um determinado período de tempo.

Neste artigo, exploraremos em detalhes o conceito de churn, sua importância, como calculá-lo, os diferentes tipos de churn, as principais razões pelas quais os clientes cancelam, a noção de churn negativo, como determinar um churn rate aceitável, os impactos de um churn alto, indicadores a serem acompanhados juntamente com o churn, 30 dicas práticas para reduzir o churn e o papel do customer success nesse processo.

Além disso, compartilharemos algumas ferramentas que podem ser utilizadas para ajudar a reduzir o churn em sua empresa.

O que é churn?

Churn, ou churn rate, é um termo utilizado para descrever a taxa de cancelamento de clientes em uma empresa.

Trata-se da porcentagem de clientes que deixam de utilizar os produtos ou serviços oferecidos em um determinado período de tempo.

O churn pode ocorrer em qualquer tipo de negócio, desde empresas de software até serviços de assinatura, e pode ter um impacto significativo nos resultados financeiros e na reputação da empresa.

Para que serve o churn rate?

O churn rate é uma métrica importante para as empresas, pois fornece insights valiosos sobre a saúde do negócio e a satisfação dos clientes.

Ao acompanhar o churn rate, as empresas podem identificar problemas, analisar tendências e tomar medidas para reduzir a taxa de cancelamento.

Além disso, entender o churn rate permite que as empresas estimem o impacto financeiro do churn e avaliem o retorno do investimento em estratégias de retenção de clientes.

Como calcular o churn da sua empresa?

O cálculo do churn rate pode variar dependendo do tipo de negócio e dos dados disponíveis. No entanto, a fórmula básica para calcular o churn rate é a seguinte:

Churn Rate = (Clientes perdidos durante um período / Clientes totais no início do período) x 100

Por exemplo, se uma empresa tinha 500 clientes no início do trimestre e perdeu 50 clientes durante esse período, o churn rate seria de 10%:

Churn Rate = (50 / 500) x 100 = 10%

Quais são os tipos de churn?

Existem diferentes tipos de churn que uma empresa pode enfrentar. Compreender esses diferentes tipos pode ajudar a identificar os principais problemas e adotar estratégias de retenção adequadas. Aqui estão alguns dos tipos de churn mais comuns:

Churn voluntário: ocorre quando os clientes decidem cancelar por conta própria, seja por insatisfação, mudança de necessidades ou outros motivos pessoais.

Churn involuntário: acontece quando os clientes são perdidos devido a circunstâncias fora do controle da empresa, como falhas no serviço, problemas de qualidade, interrupções no fornecimento, entre outros.

Churn por concorrência: ocorre quando os clientes migram para um concorrente que oferece produtos ou serviços semelhantes, mas com melhores condições, preços ou benefícios.

Churn sazonal: ocorre quando os clientes cancelam temporariamente durante períodos específicos, como feriados ou sazonalidades do negócio.

Churn por falta de uso: acontece quando os clientes deixam de utilizar os produtos ou serviços oferecidos devido à falta de engajamento ou valor percebido.

Por que os clientes cancelam?

Compreender as razões pelas quais os clientes cancelam é fundamental para desenvolver estratégias eficazes de redução do churn. Embora as razões possam variar de acordo com o setor e o tipo de negócio, algumas das principais razões pelas quais os clientes cancelam incluem:

Insatisfação com o produto ou serviço: quando os clientes não estão satisfeitos com a qualidade, desempenho, funcionalidades ou suporte oferecido.

Preço alto: quando os clientes consideram o preço dos produtos ou serviços muito elevado em relação ao valor percebido.

Falta de engajamento: quando os clientes não encontram motivos para continuar utilizando ou interagindo com a empresa.

Experiência negativa do cliente: quando os clientes enfrentam problemas recorrentes, dificuldades de comunicação ou falta de atendimento personalizado.

Mudança de necessidades: quando as necessidades dos clientes mudam ao longo do tempo e os produtos ou serviços oferecidos já não atendem mais às suas demandas.

O que é churn negativo?

O churn negativo é uma métrica que representa a taxa de crescimento líquido da base de clientes de uma empresa.

Em outras palavras, é o percentual de clientes que retornam ou reativam seus contratos após terem cancelado anteriormente.

O churn negativo é uma situação desejável, pois indica que a empresa está conseguindo recuperar clientes perdidos e aumentar sua base de clientes ativos.

Qual é um churn rate aceitável e como saber o seu?

Não existe um churn rate universalmente aceitável, pois isso pode variar de acordo com o setor, o tipo de negócio e o modelo de assinatura. No entanto, em geral, um churn rate baixo é considerado saudável para a maioria das empresas. É importante monitorar e comparar o churn rate da sua empresa com benchmarks do setor para avaliar seu desempenho.

Para saber o churn rate da sua empresa, siga os seguintes passos:

Defina o período de análise: determine o período de tempo para o qual você deseja calcular o churn rate (mensal, trimestral, anual, etc.).

Colete os dados necessários: obtenha os dados sobre o número de clientes que cancelaram durante esse período e o número total de clientes no início do período.

Calcule o churn rate: utilizando a fórmula mencionada anteriormente, calcule o churn rate para o período escolhido.

Compare com benchmarks: pesquise e compare seu churn rate com benchmarks do setor para entender como seu desempenho se posiciona em relação aos concorrentes.

Quais os impactos de um churn alto?

Um churn alto pode ter vários impactos negativos na empresa, tanto financeiros quanto operacionais. Alguns dos principais impactos incluem:

Perda de receita: cada cliente perdido representa uma perda de receita direta para a empresa. Se o churn rate for alto, a empresa pode enfrentar uma diminuição significativa na receita, o que afeta diretamente sua saúde financeira.

Custos adicionais de aquisição de clientes: quando os clientes cancelam, a empresa precisa investir mais recursos na aquisição de novos clientes para substituí-los. Isso pode envolver gastos com marketing, publicidade e esforços de vendas, o que aumenta os custos operacionais.

Reputação prejudicada: um alto churn rate pode ter um impacto negativo na reputação da empresa. Clientes insatisfeitos podem compartilhar suas experiências negativas, prejudicando a imagem da empresa e dificultando a aquisição de novos clientes.

Dificuldades de crescimento: se a empresa não conseguir reter seus clientes, o crescimento sustentável pode se tornar um desafio. Em vez de focar em expandir a base de clientes, a empresa estará ocupada constantemente substituindo aqueles que saem, o que limita seu potencial de crescimento.

Menor valor vitalício do cliente: um alto churn rate reduz o valor vitalício do cliente (LTV), que representa a receita total que um cliente gera durante o tempo em que permanece como cliente. Clientes que cancelam cedo reduzem o LTV e impactam negativamente o retorno do investimento feito na aquisição desses clientes.

Quais indicadores você deve acompanhar junto ao churn?

Além do churn rate, existem outros indicadores que podem fornecer informações valiosas sobre a saúde do negócio e ajudar a identificar áreas de melhoria. Alguns desses indicadores incluem:

Taxa de crescimento da base de clientes: esse indicador mostra a taxa de crescimento da base de clientes ativos, levando em consideração tanto a aquisição de novos clientes quanto o churn. Um crescimento constante e saudável da base de clientes é um sinal positivo.

Taxa de retenção: essa métrica mede a porcentagem de clientes que permanecem ativos em um determinado período de tempo. Uma alta taxa de retenção indica uma boa capacidade de manter os clientes engajados e satisfeitos.

Valor médio do contrato: o valor médio do contrato representa a receita média gerada por cada cliente durante um período específico. Acompanhar esse indicador pode ajudar a identificar mudanças no comportamento de compra dos clientes e ajustar as estratégias de precificação e oferta.

Tempo médio de vida do cliente: esse indicador mede a duração média do relacionamento de um cliente com a empresa. Um tempo médio de vida longo indica que os clientes estão satisfeitos e continuam utilizando os produtos ou serviços oferecidos.

NPS (Net Promoter Score): o NPS é uma medida do grau de satisfação e lealdade dos clientes. Ele é baseado em uma pergunta simples: “Em uma escala de 0 a 10, o quanto você recomendaria nossa empresa a um amigo ou colega?”. O NPS ajuda a identificar promotores (clientes satisfeitos e leais) e detratores (clientes insatisfeitos), permitindo que a empresa tome medidas para melhorar a experiência do cliente.

30 dicas de como reduzir o churn da sua empresa

A redução do churn rate é um objetivo essencial para todas as empresas que desejam manter um crescimento saudável e sustentável. Aqui estão 30 dicas práticas para ajudar a reduzir o churn da sua empresa:

Ofereça um produto ou serviço de qualidade excepcional: a satisfação do cliente é fundamental para evitar o churn. Certifique-se de que seus produtos ou serviços atendam às expectativas dos clientes e ofereçam valor real.

Compreenda as necessidades dos clientes: esteja sempre atento às necessidades em constante mudança dos seus clientes. Realize pesquisas, analise feedbacks e esteja aberto a ajustar suas ofertas para atender às demandas dos clientes.

Invista em um atendimento ao cliente excepcional: oferecer um suporte eficiente e amigável é essencial para a retenção de clientes. Treine sua equipe de atendimento para resolver problemas rapidamente, com empatia e eficácia.

Implemente programas de fidelidade: recompense a lealdade dos clientes por meio de programas de fidelidade. Ofereça benefícios exclusivos, descontos ou brindes para incentivar os clientes a continuarem utilizando seus produtos ou serviços.

Mantenha uma comunicação proativa: mantenha seus clientes informados sobre atualizações, novos recursos e melhorias em seus produtos ou serviços. Use e-mails, newsletters, blogs ou até mesmo redes sociais para se comunicar regularmente com sua base de clientes.

Personalize a experiência do cliente: trate cada cliente como único, conhecendo suas preferências e histórico de compras. Ofereça recomendações personalizadas e faça com que eles se sintam valorizados.

Esteja atento aos sinais de insatisfação: monitore os indicadores de insatisfação, como tickets de suporte não resolvidos, reclamações recorrentes ou feedbacks negativos. Ao identificar clientes insatisfeitos, tome medidas imediatas para solucionar seus problemas e evitar o churn.

Simplifique o processo de cancelamento: embora seja contraditório, um processo de cancelamento fácil e sem complicações pode transmitir confiança aos clientes. Evite tornar a experiência de cancelamento frustrante, pois isso pode levar a avaliações negativas e prejudicar sua reputação.

Monitore a concorrência: esteja atento às estratégias e ofertas dos seus concorrentes. Mantenha-se atualizado sobre o que eles estão fazendo e procure maneiras de diferenciar seus produtos ou serviços, oferecendo um valor único aos clientes.

Realize pesquisas de satisfação regularmente: colete feedbacks dos clientes por meio de pesquisas de satisfação. Isso ajudará você a identificar áreas de melhoria e implementar ações corretivas para evitar o churn.

Crie uma cultura centrada no cliente: faça com que toda a sua equipe esteja comprometida em fornecer a melhor experiência possível ao cliente. Incentive uma cultura de excelência no atendimento e valorize o feedback dos clientes.

Estabeleça metas de retenção de clientes: defina metas específicas para reduzir o churn rate e acompanhe regularmente seu progresso. Isso manterá a equipe focada e comprometida com a retenção de clientes.

Ofereça um período de teste ou garantia: oferecer aos novos clientes um período de teste ou uma garantia pode ajudar a reduzir a incerteza e encorajá-los a experimentar seus produtos ou serviços sem o medo de se comprometerem a longo prazo.

Acompanhe o engajamento do cliente: monitore o nível de engajamento dos clientes com seus produtos ou serviços. Identifique aqueles que estão menos engajados e desenvolva estratégias para reativá-los, oferecendo conteúdo relevante, incentivos ou suporte personalizado.

Mantenha um relacionamento próximo com os clientes: estabeleça um relacionamento próximo com seus clientes, buscando entendê-los como indivíduos e suas necessidades específicas. Envie e-mails personalizados, faça contato por telefone e esteja disponível para ajudá-los sempre que necessário.

Faça pesquisas de saída: ao perder um cliente, aproveite a oportunidade para realizar pesquisas de saída e obter informações sobre os motivos do cancelamento. Isso ajudará você a identificar padrões e áreas de melhoria em seu negócio.

Adapte seus produtos ou serviços às necessidades do cliente: esteja disposto a fazer ajustes e melhorias contínuas em seus produtos ou serviços para atender às necessidades em constante evolução dos clientes. Mantenha-se atualizado com as tendências do mercado e ouça atentamente os feedbacks dos clientes.

Estabeleça um programa de onboarding eficaz: crie um processo de onboarding estruturado e eficiente para ajudar os novos clientes a se envolverem rapidamente com seus produtos ou serviços. Ofereça treinamentos, tutoriais e suporte durante os estágios iniciais para garantir que eles obtenham valor desde o início.

Implemente ações de upsell e cross-sell: identifique oportunidades de upsell e cross-sell para maximizar o valor do cliente. Ofereça opções de upgrades, pacotes adicionais ou produtos complementares que possam agregar valor aos seus clientes existentes.

Estimule a participação da comunidade: crie uma comunidade em torno de seus produtos ou serviços, onde os clientes possam interagir, compartilhar experiências e se sentir parte de uma rede. Isso aumenta o senso de pertencimento e lealdade à marca.

Ofereça suporte proativo: em vez de apenas responder a solicitações de suporte, seja proativo e antecipe as necessidades dos clientes. Entre em contato regularmente para verificar se eles estão satisfeitos e se precisam de ajuda adicional.

Implemente estratégias de retenção específicas para cada segmento de cliente: reconheça que diferentes segmentos de clientes têm necessidades e comportamentos diferentes. Desenvolva estratégias de retenção personalizadas que abordem as necessidades específicas de cada segmento.

Incentive o boca a boca positivo: crie programas de indicação e recompense os clientes que indicarem sua empresa para amigos, colegas ou familiares. O boca a boca positivo pode ser uma poderosa ferramenta para atrair novos clientes e reduzir o churn.

Acompanhe métricas de engajamento: além do churn rate, monitore métricas de engajamento, como taxa de abertura de e-mails, taxa de cliques, tempo de uso do produto ou serviço, entre outros. Isso ajudará você a identificar clientes em risco de churn e tomar medidas preventivas antes que seja tarde demais.

Implemente estratégias de retargeting: utilize técnicas de retargeting para alcançar os clientes que demonstraram interesse anteriormente, mas não concluíram uma compra ou cancelaram o serviço. Isso permite que você os lembre do valor que sua empresa oferece e os incentive a retornar.

Realize eventos exclusivos para clientes: promova eventos presenciais ou online exclusivos para seus clientes, onde eles possam interagir com sua equipe, compartilhar experiências e aprender mais sobre como aproveitar ao máximo seus produtos ou serviços. Isso fortalece o relacionamento com os clientes e os torna mais propensos a permanecerem fiéis.

Aproveite o poder das redes sociais: utilize as redes sociais para se conectar e engajar seus clientes. Compartilhe conteúdo relevante, responda a perguntas e comentários, e crie uma presença ativa nas plataformas onde seus clientes estão presentes.

Monitore a concorrência de perto: acompanhe as estratégias de retenção de clientes de seus concorrentes. Analise o que eles estão fazendo para manter seus clientes engajados e identifique oportunidades de melhorias em seu próprio negócio.

Invista em programas de customer success: crie uma equipe de customer success dedicada a garantir que seus clientes estejam alcançando seus objetivos e obtendo valor máximo de seus produtos ou serviços. Essa equipe pode oferecer suporte personalizado, treinamentos e orientações para garantir a satisfação e retenção dos clientes.

Realize pesquisas de feedback pós-churn: após um cliente cancelar, envie uma pesquisa de feedback para entender os motivos específicos que levaram ao churn. Isso ajudará você a identificar tendências, áreas de melhoria e oportunidades de redução de churn no futuro.

O papel do customer success na redução do churn

O customer success desempenha um papel crucial na redução do churn rate. A equipe de customer success é responsável por garantir que os clientes estejam obtendo sucesso e valor com os produtos ou serviços oferecidos pela empresa. Algumas das atividades que eles realizam incluem:

Onboarding e implementação: ajudam os clientes a se familiarizarem com os produtos ou serviços, orientando-os sobre como usá-los da melhor forma e como alcançar seus objetivos.

Monitoramento do engajamento e adoção: acompanham o engajamento dos clientes com os produtos ou serviços, identificando aqueles que estão enfrentando dificuldades ou que não estão aproveitando todo o potencial. Eles intervêm proativamente para oferecer suporte e orientação.

Suporte e resolução de problemas: fornecem suporte técnico e resolvem problemas que os clientes possam enfrentar durante a utilização dos produtos ou serviços. Isso ajuda a garantir uma experiência positiva e evita que os clientes fiquem insatisfeitos ao enfrentar dificuldades.

Avaliação de resultados e acompanhamento contínuo: acompanham o progresso dos clientes em relação aos seus objetivos e fornecem feedbacks e sugestões para melhorias. Isso ajuda a maximizar o valor que os clientes obtêm com a empresa e a manter uma relação de longo prazo.

Renovação e upsell: trabalham ativamente na renovação de contratos dos clientes, oferecendo benefícios adicionais, upgrades ou planos personalizados que atendam às necessidades em constante evolução. Também identificam oportunidades de upsell para aumentar o valor do cliente.

Feedback e pesquisa de satisfação: coletam feedbacks dos clientes, realizam pesquisas de satisfação e acompanham métricas-chave para entender a percepção e o nível de satisfação dos clientes. Essas informações são fundamentais para identificar áreas de melhoria e implementar ações corretivas.

O customer success desempenha um papel fundamental na redução do churn, pois está focado em garantir que os clientes alcancem seus objetivos e tenham uma experiência positiva com a empresa.

Ao oferecer suporte proativo, orientação personalizada e garantir a entrega de valor contínuo, a equipe de customer success aumenta a retenção de clientes e fortalece o relacionamento de longo prazo.

Ferramentas para ajudar a reduzir o churn

Existem diversas ferramentas disponíveis que podem auxiliar na redução do churn rate. Essas ferramentas oferecem recursos para monitorar, analisar e otimizar a experiência do cliente, além de automatizar processos e melhorar a comunicação. Aqui estão algumas ferramentas populares:

Plataformas de Customer Relationship Management (CRM): como o Salesforce, HubSpot CRM, Zoho CRM. Essas ferramentas permitem que você acompanhe o histórico de interações com os clientes, gerencie leads, automatize processos de vendas e forneça um atendimento personalizado.

Ferramentas de análise de dados: como o Google Analytics, Mixpanel, Kissmetrics. Essas ferramentas ajudam a monitorar o comportamento dos usuários, analisar métricas-chave, identificar padrões de uso e tomar decisões embasadas em dados para melhorar a experiência do cliente.

Plataformas de automação de marketing: como o Mailchimp, HubSpot, Marketo. Essas ferramentas permitem automatizar campanhas de e-mail marketing, segmentar audiências, enviar comunicações personalizadas e nutrir leads de forma escalável.

Chatbots e assistentes virtuais: como o Chatfuel, Intercom, Drift. Essas ferramentas fornecem suporte automatizado em tempo real, respondendo a perguntas frequentes e direcionando os clientes para o suporte humano quando necessário.

Plataformas de pesquisas e feedbacks: como o SurveyMonkey, Typeform, Qualtrics. Essas ferramentas permitem criar pesquisas personalizadas para coletar feedbacks dos clientes, entender suas necessidades e identificar oportunidades de melhoria.

Plataformas de gestão de tickets de suporte: como o Zendesk, Freshdesk, Help Scout. Essas ferramentas auxiliam na organização e gerenciamento eficiente de tickets de suporte, facilitando a resolução de problemas e a comunicação com os clientes.

Ferramentas de análise de sentimentos: como o Brandwatch, Talkwalker, Mention. Essas ferramentas monitoram as menções à sua marca nas redes sociais e na web, analisando o sentimento por trás das menções e fornecendo insights sobre a percepção dos clientes em relação à sua empresa.

Plataformas de gerenciamento de feedbacks: como o UserVoice, Usabilla, UserReport. Essas ferramentas permitem coletar e gerenciar feedbacks dos clientes, priorizar as demandas e acompanhar o progresso das melhorias implementadas.

Plataformas de automação de processos: como o Zapier, Integromat, Automate.io. Essas ferramentas permitem automatizar tarefas e fluxos de trabalho, integrando diferentes sistemas e aplicativos para agilizar processos internos e melhorar a eficiência operacional.

Plataformas de gestão de relacionamento com o cliente: como o Intercom, Zendesk, HubSpot. Essas ferramentas fornecem recursos abrangentes para gerenciar o relacionamento com o cliente, desde o suporte até o atendimento pós-venda, permitindo uma visão completa e centralizada de cada cliente.

Ao utilizar essas ferramentas, você pode otimizar os processos internos, automatizar tarefas repetitivas, coletar feedbacks dos clientes, analisar dados e tomar decisões embasadas. Isso ajudará você a identificar áreas de melhoria, implementar estratégias eficazes de retenção de clientes e reduzir o churn rate em sua empresa.

Conclusão

A redução do churn rate é essencial para o sucesso e crescimento sustentável de qualquer empresa. Compreender o conceito de churn, calcular o churn rate e identificar os tipos de churn são os primeiros passos para abordar esse desafio. Ao entender as razões pelas quais os clientes cancelam, é possível implementar estratégias eficazes de retenção.

Acompanhar indicadores-chave, como taxa de retenção, crescimento da base de clientes e satisfação do cliente, oferece insights valiosos para identificar áreas de melhoria. Implementar as 30 dicas práticas mencionadas neste artigo, juntamente com o apoio de uma equipe de customer success dedicada e o uso de ferramentas apropriadas, pode ajudar a reduzir o churn e aumentar a fidelidade dos clientes.

Lembre-se de que a retenção de clientes é um esforço contínuo. Mantenha-se atualizado sobre as necessidades dos clientes, adapte-se às mudanças do mercado, ofereça um atendimento excepcional e busque sempre melhorar a experiência do cliente. Ao fazer isso, você estará construindo uma base sólida de clientes leais e impulsionando o sucesso a longo prazo de sua empresa.

Você pode gostar também desses posts!

logo evolvy branca

Solicite seu TESTE GRÁTIS!

Preencha os campos abaixo para liberar o seu teste.

Heeey, só um minutinho...

Que tal fazer um teste GRATUITO e SEM COMPROMISSO da melhor e mais completa plataforma de atendimento do mercado?

Preencha os seus dados abaixo e veja tudo o que podemos fazer pelo seu negócio!

Heeey, só um minutinho...

Que tal fazer um teste GRATUITO e SEM COMPROMISSO da melhor e mais completa plataforma de atendimento do mercado?

Preencha os seus dados abaixo e veja tudo o que podemos fazer pelo seu negócio!